museus e comunidade: ações educativas para uma nova pratica na museologia social

Home Fóruns Museus e Comunidade museus e comunidade: ações educativas para uma nova pratica na museologia social

Este tópico contém 11 respostas, 6 vozes e foi atualizado pela última vez por Diego Luiz Vivian Diego Luiz Vivian 5 anos, 7 meses atrás.

12 posts - 1 de 12 (de 12 do total)
  • Autor
    Posts
  • 27/11/2012 em 12:08 #318

    museus e comunidade: ações educativas para uma nova pratica na museologia social

    04/12/2012 em 19:44 #491
    Diego Luiz Vivian
    Diego Luiz Vivian
    Subscriber

    OI Suzenalson Santos,

     

    fiquei curioso com teu tópico e por isto pergunto em que implica esta “nova prática na museologia social”, alcançada através de aões educativas?

    Numa intensificação do reconhecimento e da promocão do direito à memória e à história entre as comunidades?

    Numa ampliação do entendimento entorno do que seja a “função social” dos museus?

     

    07/12/2012 em 12:37 #531

    caro colega bom dia, primeiramente gostaria de agradecer pela oportunidade de você saber em despertar
    a importancia de outras ideias tambem que estão em discurssão nesse processo que acredito que seja um
    novo marco nessa empleitada dos museus no brasil, é um prazer retratar pensamentos e ideias nessa
    formação de um novo cenario da museologia social em nosso país, no topico ações educativas tento perpassar
    uma discurssão que perfaz em torno dos museus indigenas no ceará em especial ao meu ao qual sou coordenador
    do nucleo educativo do ponto de memória: museu indigena kanindé no estado do ceará, situado na aldeia sitio fernandes
    interior deste estado, que atraves de uma ação conjunta e comunitaria de ações educativas vem desenvolvendo um excelente
    trabalho na area de museologia social com ações educativas e pedagogicas dentro de um processo de construção de memoria e
    patrimonio cultural deste povo. e vem idealizando uma nova visão do que é e como deve ser um museu, sua missão e sua visão na
    formação do processo social da identidade indigena e brasileira, nessa pespectiva os museus indigenas traz uma visualização de uma
    ação conjunta e comunitara desenvolvendo caracteristicas proprias e formalizações onde a pratica da ação e da educação museal
    tenham uma forma comunitaria, onde o centro dessa visualização seja voltada ao desenvolvimento local, atraves da interpretação
    e fortalecimento do reconhecimento e da promoção do direito a memória e a história entre as comunidades, valorizando suas história
    e memórias principalmente o patrimonio material e imaterial. essa pespectiva é um trabalho que ao longo do tempo vem sendo realizado
    e desenvolvido pelo nucleo educativo do ponto de memória museu indigena kanindé e pelos museus indigenas e comunitarios
    do ceará, isso tem despertado uma curiosidade muito grande nesse trabalho de como fazer e realizar um trabalho de um museu voltado
    para a comunidade em fortalecimento da sua identidade e das culturas locais, desfazendo aquela ideologia de que museu é apenas um espaço
    fisico entre quatro paredes, museu nessa nova pespectiva de ação museologica no meu pensar e das ações que vem sendo realizadas é alem de
    linha pratica de conhecimento acima de tudo um espaço educacional transformador em uma nova visibilidade na museologia social.

    acredito ter contribuido nessa discurssão, é a partir de trocas dessas experiencias que certamente iremos construir um futuro para os nossos
    museus com ideologias mais humanitarias onde possam retratar mais as historias, valorizar as classes socias e acima de tudo a formação da
    verdadeira identidade do povo brasileiro.

    qualquer outras informações pode entrar no blog do museu: http://www.mkindio.blogspot.com / ou escolakaninde-indio.blospot.com.br
    ai estão retratados algumas ações educativas, pedagogicas e ações museologicas ao qual espelha a discurssão do topico e
    da experiencia.

    qual o tema que você colocou pra discurssão, mim fale um pouco tambem dessa iniciativa? vamos trocar mais ideias…. disponha…

    valeu um grande abraço

    suzenalson da silva santos
    coordenador do ponto de memória: museu indigena kanindé – ceará
    mkindio@gmail.com
    (85)86636412 / (85)91736659

    11/12/2012 em 21:33 #562
    Diego Luiz Vivian
    Diego Luiz Vivian
    Subscriber

    Oi, Suzenalson

    Obrigado pela resposta esclarecedora. Agora entendi um pouco melhor o sentido do tópico criado por ti, e a tua contribuição neste debate em torno da elaboração do Programa Nacional de Educação Museal pela sociedade brasileira.

    Visitei os endereços eletrônicos indicados por ti e gostei muito de ver o trabalho realizado pelo Ponto de Memória: museu indígena kanindé. Parabéns.

    Creio que trabalho como estes se direcionam exatamente para um campo onde o direito à memória e à história se mostram essenciais. Por isto o papel estratégico que os museus indígenas representam neste cenário da relação museu-comunidade.

    Como sugestão de trabalhos análogos e que seguem nesta mesma área das práticas inovadoras em museologia social e comunitária, gostaria de indicar as produções cinematográficas realizadas pelos Mbyá Guarani, da Tekoá Koenju (Aldeia Alvorecer), em São Miguel das Missões, através da sua principal liderança indígena, o cacique e cineasta Ariel Ortega.

    Trata-se de uma perspectiva importante para pensarmos melhor como se desenvolveu a história deste povo no Brasil, desde os seus primórdios. Mas não somente com o foco no passado distante, mas especialmente atento sobre os aspectos atuais desta história e memória indígenas que se encontram em permanente (re) construção.

    Parabéns, mais uma vez, aos indígenas e suas contribuições, mestres na arte de educar.

    Obrigado.

    31/01/2013 em 17:32 #818

    centrodereferencia
    Subscriber

    Gostaria de sugestões de ações aumentar a quantidade de visitates e para intensificar a participação da comunidade nos museus.

    04/02/2013 em 16:55 #826
    Diego Luiz Vivian
    Diego Luiz Vivian
    Subscriber

    Oi, Centro de Referência

    seu questionamento resume um desafio de praticamente todos os museus. E por isto iniciativas como o PNEM são tão importantes.

    Acredito que as sugestões que procuras podem estar contidas nos próprios Fóruns deste Blog do Pnem, a exemplo do Fórum Ações Educativas e Memória Coletiva, que contou com uma importante postagem da Fernanda Castro e da sua experiência de trabalho em Santa Teresa-RJ.

     

    _____________

    Antes de terminar, gostaria de saber de que lugar você fala?

    Sinta-se a vontade para continuar participando deste GT e de outros debates aqui do PNEM.

    Abraço até mais,

    Diego

     

    04/03/2013 em 13:26 #1028

    Olá Diego,

    a partir do tópico “museus e comunidade: ações educativas para uma nova pratica na museologia social” você colocou algumas questões que foram bem contempladas…

    E sobre a questão do “ampliação do entendimento entorno do que seja a “função social” dos museus”, eu gostaria de entender mais sobre essa
    função. Estamos falando de trazermos para o museu um público que históricamente está excluído destes espaços…seria essa a função social do museus?

    05/03/2013 em 17:11 #1050
    Diego Luiz Vivian
    Diego Luiz Vivian
    Subscriber

    Oi , Mariana

    Obrigado pelo seu interesse nos debates promovidos através deste GT Museus e Comunidades.

    Sua pergunta é extremamente pertinente, mostrando sua atenção para com um debate que se encontra “em aberto” e que também possui diversas respostas possíveis.

    Quando se fala em função social de museus lembro logo da Mesa Redonda de Santiago – Chile (1972), que contribui para dar novos rumos ao entendimento que se tinha da instituição museu, gerando um movimento conhecido também como a Nova Museologia.

    05/03/2013 em 17:16 #1051
    Diego Luiz Vivian
    Diego Luiz Vivian
    Subscriber

    Mais recentemente, no Brasil, a justificativa para a escolha do “tema motivador” da última Primavera de Museus também fez menção a este assunto (função social dos museus).

    Abaixo reproduzo partes desta justificativa, tentando resumir um pouco do que estamos falando quando se trata de função social de museus:

     

    “Museus são espaços de reflexão que valorizam os saberes, os fazeres e a memória e impulsionam o pensar social. Abrangem ampla diversidade de temas, áreas do conhecimento e práticas (…) afirmando-se como referenciais básicos para a transformação das realidades locais. (…) Essa perspectiva orientou o movimento de criação de um modelo de museu como espaço de engajamento social, debate e reflexão coletiva, de tal forma a tornar os visitantes atores sociais. Essa ampliação do conceito de museu considera, também, as realidades socioeconômicas, atentando-se às diversidades regionais, ao patrimônio vivo e ao desenvolvimento durável. A partir da valorização do patrimônio local, o museu auxilia na construção de comunidades sustentáveis, que visam a união de interesses coletivos de forma harmônica. Ademais, ao incentivar a participação popular, contribui para a construção de um projeto de desenvolvimento humano sustentável, sendo representativo das necessidades e interesses e integrando as comunidades envolvidas.(…)”

     

    Obrigado, mais uma vez, pela sua participação.

    E sinta-se à vontade para encaminhar suas propostas para a elaboração do PNEM.

    24/03/2013 em 14:09 #1112

    Lira Dutra
    Subscriber

    Olá, senhores e senhoras!

    Sou do município da Granja, Ceará.

    Acessei o blog http://escolakaninde-indio.blogspot.com.br/ e gostei das informações.

    Quero manter contato com suzenalson da silva santos para que possa sugerir ideias para o trabalho que desenvolvo no Instituto José Xavier, onde tem um museu.

    Acessem:

    http://institutojosexavier.com.br/site/

    institutojosexavier@yahoo.com.br

     

    Estamos precisando de todos os parceiros.

    27/03/2013 em 0:14 #1125
    Lice Enderlein
    Lice Enderlein
    Subscriber

    Li todas as contribuições e tive vontade de participar. Sou do Rio e percebi uma mudança importante na postura de alguns museus e sua maneira de abordar o público que, antes via um museu como um lugar chato e empoeirado, mas agora percebe o quão vibrante e interessante se tornou.

    Temos aqui no Rio O Centro Cultural Banco do Brasil e o MAR – Museu de Arte do Rio que vem trazendo exposições interativas e para todas as idades além de fazer divulgação massivamente inclusive por redes sociais. Desta forma acompanhamos daqui a exposição Os Impressionistas Franceses em São Paulo, torcendo para que viesse logo para o Rio, e aqui foi um incrível sucesso. Bem,  um museu não se faz apenas com exposições maravilhosas e caras; há ambientes para as crianças com tutores, exposições fixas, exposições sobre artistas populares (Elis, recentemente). Ou seja, museus precisam se tornar ágeis e ventilados, grandes comunicadores e acolhedores de primeira. Acho que é por aí! Não sei como está o resto do Brasil, mas aqui nota-se claramente que tudo mudou…e para melhor!

    28/03/2013 em 17:53 #1149
    Diego Luiz Vivian
    Diego Luiz Vivian
    Subscriber

     

    Olá Lira!

    você viu que o Suzenalson deixou os contatos dele?

    Reproduzo abaixo:

    suzenalson da silva santos

    coordenador do ponto de memória: museu indigena kanindé – ceará mkindio@gmail.com (85)86636412 / (85)91736659

     

12 posts - 1 de 12 (de 12 do total)

O fórum ‘Museus e Comunidade’ está fechado para novos tópicos e respostas.