2º Encontro Nacional do PNEM acontecerá em junho no Fórum Nacional de Museus

Nos últimos cinco anos, educadores e outros profissionais de museus estiveram envolvidos na construção coletiva de diretrizes para a o fortalecimento das práticas educacionais em museus e processos museais – que viria a constituir o Programa Nacional de Educação Museal (PNEM).

Começamos com uma consulta pública virtual por meio de fóruns de discussão realizados no Blog do PNEM. Foram quatro meses de debate onde foram apresentadas várias propostas pelos mais de 700 participantes cadastrados.

A partir de então, tivemos muito trabalho, muitos encontros, vimos algumas Redes de Educadores em Museus sendo formadas e a educação museal sendo discutida nos quatro cantos do país!

Depois de 23 Encontros Regionais realizados, nos reunimos todos em novembro de 2014, na cidade de Belém (PA) para o 1º Encontro Nacional do Programa Nacional de Educação Museal, no âmbito do 6º Fórum Nacional de Museus. Nele foi aprovada a Carta de Belém, que definiu os princípios norteadores para uma política pública voltada à Educação Museal.

Agora é a hora de voltarmos a nos reunir, incluindo todos que se empenharam nessa jornada e novos entusiastas a fortalecer a educação museal do Brasil. A discussão será retomada no 7º Fórum Nacional de Museus (FNM), quando será realizado o 2º Encontro Nacional do PNEM.

O encontro vai acontecer nos dias 2 e 3 de junho no âmbito dos Grupos de Trabalho do 7º FNM, conforme programação, e irá definir o documento final com as diretrizes orientadoras da educação museal.

1º Encontro Nacional do PNEM

Sobre o Fórum Nacional de Museus

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) vinculado ao Ministério da Cultura e responsável pelas políticas públicas para o setor no Brasil, realiza periodicamente o Fórum Nacional de Museus (FNM), que tem por objetivo refletir, avaliar e delinear diretrizes para a Política Nacional de Museus.

O 7º Fórum Nacional de Museus vai acontecer entre os dias 30 de maio e 4 de junho em Porto Alegre (RS) e traz como tema a “A Recomendação da Unesco sobre a Proteção e Promoção de Museus e Coleções” (conheça o documento da recomendação).

A recomendação, aprovada em 2015, passa a ser um pilar para as políticas públicas de museus para as próximas décadas, estabelecendo diretrizes para o fortalecimento das práticas existentes em museus, para a preservação, comunicação e promoção das coleções, e para o aprimoramento das funções sociais dos museus, em acolhimento aos urgentes desafios contemporâneos.

O 7º FNM representa ocasião para reunir os diversos atores do setor museal em espaço de intercâmbio de experiências entre comunidade museológica, sociedade civil, museus e órgãos de gestão museológica, promovendo diálogos por meio dos diferentes ambientes de debates que compõem a programação oficial do evento, a saber: conferências, painéis, minicursos, grupos de trabalho e mostras de trabalhos acadêmicos.

Curso de Especialização em Educação Museal forma sua primeira turma

Chegamos ao final da primeira turma do Curso de Pós Graduação Especialização em Educação Museal, curso realizado por meio de parceria técnica entre os Museus Castro Maya/Chácara do Céu e o Museu da República, representado pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) e o Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro (ISERJ), via Fundação de Apoio à Escola Técnica (FAETEC). O Curso, pioneiro neste nível de ensino no país, tem como objetivo preencher uma lacuna na formação dos profissionais educadores em museus e centros culturais do País.

Ele tem a proposta de que instituições de cultura e de ensino ajam em conjunto na construção de uma ideia de educação que leve em conta uma Formação Integral. Abrangendo instituições públicas e promovendo uma visão de ensino inovadora, resgatando o ideário e reafirmando as convicções de Anísio Teixeira e de tantos outros educadores que inspirados por ações educacionais exemplares como as desenvolvidas pelo histórico Instituto de Educação e também por muitos museus pelo Brasil a fora têm colaborado para promover uma educação de qualidade, que priorize a fruição cultural e que democratize seu acesso a todos.

A partir do dia 19 de março de 2016, cerca de 30 alunos defenderão seus Artigos de Conclusão, com temas de grande expressividade para o campo da Educação Museal, número de alunos bastante significativo para um Curso de Especialização em Educação.

Serão apresentadas pesquisas que perpassam pela educação infantil; teatro; artes; acessibilidade; público com transtorno mental; turmas de Jovens e adultos (EJA); vandalismo e patrimônio; relação museu e escola; relações étnico-raciais; historiografia da educação de museus e centros culturais como: Museu de Arte Sacra de Paraty, Museu Histórico Nacional, Museu Imperial, Museu da Vida, Centro Cultural Banco do Brasil, Museu Vivo do São Bento, Museu da Maré, Palácio Tiradentes, Teatro Municipal, além de debates políticos e conceituais do campo científico, em especial sobre a Política Nacional de Educação Museal (PNEM)/IBRAM. Enfim, uma gama variada de temas que vão além do momento que vivemos culturalmente; essa diversidade demonstra a riqueza no campo científico e quanto ainda pode ser feito através de pesquisas pela Educação, Patrimônio, Cultura e pelos nossos Museus.

As apresentações serão abertas ao público e realizadas na sala 300, do Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro, localizado na Rua Mariz e Barros, 273 – Praça da Bandeira – Rio de Janeiro – RJ. 

Confira o cronograma de defesa dos trabalhos aqui.

 

Inscrições para a especialização em Educação Museal vão até o dia 11/09

As inscrições para o Curso de Pós-Graduação Lato sensu em Educação Museal estão abertas. O curso é fruto de uma Cooperação Técnica entre os Museus Castro Maya e o Museu da República, ambos pertencentes ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), e a Fundação de Apoio à Escola Técnica (FAETEC), via Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro (ISERJ).

As aulas serão gratuitas e presenciais, oferecidas aos sábados, com início previsto para o segundo semestre do ano letivo de 2014. O curso terá a duração de 01 ano e 03 meses, totalizando 380 horas de carga horária final e será ministrado no Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro – ISERJ, bem como em museus pela cidade. Serão oferecidos um total de 45 vagas, sendo 15 destinadas a servidores, funcionários e alunos egressos dos cursos superiores do ISERJ, 15 destinadas aos educadores de museus com experiência comprovada e 15  para o público externo (ampla concorrência).

As inscrições podem ser feitas até o dia 11 de setembro e serão realizadas na secretaria acadêmica do ISERJ, situado na Rua Mariz e Barros, nº 273 – Praça da Bandeira – CEP: 20270-003, no município do Rio de Janeiro/RJ.

Contexto

A Educação Museal tem-se desenvolvido enquanto campo de atuação de educadores e pesquisadores no Brasil desde a fundação do primeiro setor educativo de museus em 1927, passando por uma grande intensificação nas décadas de 1970 e 1980 e chegando ao século XXI com grandes demandas e importantes contribuições à formação humana.

A ideia de um curso de especialização Lato sensu em Educação Museal surge para suprir uma necessidade de formação e qualificação dos profissionais da área, também apresentando-se como opção de prática profissional para educadores de diversas áreas do conhecimento.

No ano de 2014, em que se celebram os 134 anos do ISERJ e que se lançará a Política Nacional de Educação Museal, elaborada e promovida pelo IBRAM com a participação da sociedade civil, inaugura-se o curso que será o único neste nível de ensino no país e o primeiro criado na área da educação.

Ele tem a proposta de que instituições de cultura e de ensino ajam juntas na construção de uma ideia de educação que leve em conta uma Formação Integral, capaz de contemplar o desenvolvimento intelectual, profissional, artístico, científico e físico em uma formação humana completa.

Constituindo-se entre duas instituições públicas e promovendo uma visão de ensino inovadora, resgata o ideário e reafirma as convicções de Anísio Teixeira e de tantos outros educadores que inspirados por ações educacionais exemplares, como as desenvolvidas pelo histórico Instituto de Educação e também por muitos museus pelo Brasil a fora, têm colaborado para promover uma educação de qualidade, que priorize a democratização do acesso e a fruição cultural.

O Curso de Pós-graduação Lato sensu em Educação Museal

Buscando a excelência do ensino e a formação de qualidade para profissionais atuarem no campo da educação museal, este curso tem como princípios curriculares gerais o trabalho com a pluralidade cultural, social e política; a utilização e a compreensão das diferentes produções sociais e culturais na construção do conhecimento dos diferentes públicos recebidos por museus e centros culturais; o desenvolvimento da capacidade de comunicação e expressão em diferentes espaços culturais e a utilização dos recursos pedagógicos que viabilizem a aprendizagem dos diferentes públicos recebidos nessas instituições.

Conteúdo do Curso

Os conteúdos do curso foram divididos abrangendo os campos da Pedagogia e da Educação Museal, levando em consideração a demanda de profissionais que já atuam na área assim como aquelas de profissionais que desejam ingressar nela. Iniciando-se com o estudo da História da Educação em Museus no Brasil e no mundo, estabelece nexos com a história dos museus e do patrimônio no Ocidente. Além disso, o Curso também propiciará aos discentes, debates sobre os principais conceitos da área e com aquelas as quais se relaciona e sobre sua consolidação enquanto campo científico e área profissional.

Serão analisadas as perspectivas de pesquisa em educação em museus, o estudo sobre a conformação do campo das políticas públicas de educação museal no Brasil, relacionando-as brevemente com a legislação internacional da área. Por fim, no último módulo do Curso serão realizadas visitas técnicas e elaboração de propostas educativas em um módulo de prática em educação museal.

Acesse o edital.