PNEM

Estão abertas inscrições de cursos gratuitos relacionados a Educação Museal

A equipe do PNEM selecionou alguns cursos gratuitos que estão relacionados com a temática da educação museal. As inscrições estão abertas! Confira:

NOVO
Curso:
Patrimônio Imaterial Mato-Grossense: diversidade cultural e educação patrimonial
Onde: Auditório da Faculdade de Ciência da Informação (Entrada leste do prédio da Biblioteca Central BCE/ Universidade de Brasília) – Brasília-DF
Período: 05 e 06 de agosto de 2013
Horários: 8h-12h e 14h-18h (carga horária total:16h)
Inscrições no local

Curso: Que público é esse?
Onde/Quando/Inscrições:
São Carlos – Museu de São Carlos
Curso de 29 de julho a 2 de agosto de 2013
Inscrições: de 15 a 21 de julho
Taubaté –  Museu Monteiro Lobato
Curso de 19 a 23 de agosto de 2013
Inscrições: de 5 a 11 de agosto
Tupã – Museu Índia Vanuíre
Curso de 16 a 20 de setembro
Inscrições: de 2 a 8 de setembro
Público alvo:
Pessoas que trabalham com os públicos nos museus e centros culturais.
Número de vagas: 40
Quem promove: PercebeEduca
Mais informações aqui

Curso: Mediação na cultura e nas artes
Quando:
31 de agosto de 2013 e 23 de agosto de 2014 (aos sábados).
Onde
: Itaú Cultural | Avenida Paulista 149 – São Paulo SP [estação Brigadeiro do metrô]
Público alvo:
Diversos tipos de profissional dedicado à cultura.
Inscrições:
22 de julho a 5 de agosto 2013
Número de vagas:
35
Quem promove:
Itaú Cultural
Mais informações aqui

Curso: Art and Inquiry: Museum Teaching Strategies For Your Classroom (Arte e Investigação: estratégias de educação em museu para sua sala de aula) *curso em inglês
Quando: 29 a de Julho a 23 de agosto de 2013 (1 a 2 horas/semana)
Onde: a distância pelo www.coursera.org
Público: Professores que atuem na educação básica e tem interesse em trabalhar com museus.
Quem promove: The Museum of Modern Art – MOMA
Incrições e informações: aqui

Museus são convidados para webconferência sobre o Programa Mais Cultura nas Escolas

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram-MinC) convida a todos os museus a participarem nesta quinta-feira, 27 de junho, às 14h30,  da webconferência  sobre o Programa Mais Cultura nas Escolas, que terá como foco discutir os  benefícios e esclarecer dúvidas sobre  o eixo voltado  para as instituições museológicas.

Resultado de parceria entre os Ministérios da Educação e da Cultura, o programa tem como objetivo fomentar ações que promovam o diálogo entre as escolas públicas e experiências culturais e artísticas desenvolvidas em comunidades locais.

Divulgado recentemente no blog PNEM em post anterior, o Mais Cultura nas Escolas selecionará cinco mil projetos em 2013, que receberão entre R$ 20 mil e R$ 22 mil, calculados conforme o número de alunos matriculados na escola. O recurso deverá ser investido na  contratação de serviços culturais relacionados às atividades artísticas e pedagógicas.

Dentre os nove eixos temáticos apresentados, destaca-se o de Educação Museal, no qual serão consideradas atividades de identificação, pesquisa, seleção, coleta, preservação, registro, exposição e divulgação de objetos, expressões culturais materiais e imateriais e de valorização do meio-ambiente e dos saberes da comunidade, bem como a utilização de ferramentas educacionais para a interpretação e difusão do patrimônio cultural.

Também poderão concorrer práticas museais que possibilitam à comunidade escolar e territórios educativos experimentarem situações de ensino/aprendizagem relacionadas à fruição da memória e a construção da cidadania cultural. E, ainda, museus escolares que trabalham como espaços dialógicos interdisciplinares articulados com seu entorno.

Outros públicos – No dia 8 de julho, às 11h, a webconferência será voltada para as secretarias de cultura estaduais e municipais e, no dia 11 de julho, às 14h30,  para educadores, artistas, gestores de espaços culturais, pontos de memória, pontos de cultura e demais iniciativas da sociedade civil.

Para assistir, basta acessar o banner do Programa no Portal do MinC.

Para mais informações acesse o manual completo do Programa ou o site http://www.cultura.gov.br/maisculturanasescolas.

Dúvidas podem ser encaminhadas ao maisculturanasescolas@cultura.gov.br.

Recomendação bibliográfica

A bibliografia recomendada pela equipe do PNEM foi atualizada, disponibilizando online diversos textos relacionados com a educação museal. Sendo a maior parte deles sobre a relação entre museu e escola, educação patrimonial e práticas educativas, além de temas como comunicação, públicos e exposição.

Entre os autores, estão Maria Célia Santos, com os textos “Reflexões museológicas: caminhos de vida” e “Museu e Educação: conceitos e métodos”, Mário Chagas com “Museus e Público Jovem: percepções e receptividades” e “Educação, museu e patrimônio: tensão, devoração e adjetivação” e Tereza Scheiner com “Comunicação, Educação, Exposição: novos saberes, novos sentidos”.

Confira aqui!

Estamos à disposição para contribuições, envie sua sugestão para nosso email:

pnem@museus.gov.br

Agradecemos desde já!

Encontros sobre o PNEM no RS

Mesa Redonda sobre o PNEM  na UFRGS

A Semana Acadêmica Integrada das Ciências da Informação, promovida pelo Centro Acadêmico de Biblioteconomia, Arquivologia e Museologia – CABAM-UFRGS contou com a mesa redonda Programa Nacional de Educação Museal (PNEM) – Um debate necessário. Ocorrida em Porto Alegre-RS em 24/05, o evento foi bastante animado, envolvendo cerca de 20 a 25 pessoas – dentre estudantes e professores da museologia da UFRGS, além de outros interessados no tema. Além da participação de Diego Vivian – Coordenador do GT Museus e Comunidade do PNEM, que tratou do processo de construção do PNEM; estiveram presentes  a coordenadora geral da REM-RS e articuladora do PNEM que abordou a importância da organização em rede por parte dos educadores; uma museóloga que abordou os 10 anos da PNM e um arquiteto e uma técnica de museu municipal que abordaram a acessibilidade em museus.

reunião PNEM na Lomba do Pinheiro
Reunião PNEM na Lomba do Pinheiro

Outro evento relevante ocorreu no dia 25 de maio no Ponto de Memória Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre. A reunião de articulação sobre o PNEM, contou com o Coordenador do GT Museus e Comunidades do PNEM, o Conselho Gestor do Ponto de Memória da Lomba do Pinheiro, a Rede de Pontos de Memória e Iniciativas Comunitárias em Memória e Museologia Social do Rio Grande do Sul (REPIM-RS) e a Rede de Educadores em Museus do Rio Grande do Sul (REM-RS).

O tema central do encontro foi a construção do Programa Nacional de Educação Museal (PNEM). Na abertura a Coordenadora da REM-RS, Márcia Vargas, destacou a importância da organização em rede por parte dos educadores dos museus e mencionou os debates e as ações desenvolvidos pela REM-RS e o Ponto de Memória da Lomba do Pinheiro na construção do PNEM. Diego Vivian do IBRAM/MinC, apresentou um resumo das propostas do Grupo de Trabalho do PNEM – Museus e Comunidade no fórum virtual. Tratou-se também da metodologia adotada para a construção do PNEM que visa elaborar diretrizes voltadas aos museus no que tange às suas ações educativas, fortalecendo a dimensão educativa em todos os espaços do museu e fornecendo subsídios para a atuação dos educadores. Chegou-se a um consenso sobre a necessidade de fortalecer as políticas públicas voltadas para os museus e as comunidades, de acordo com o que está previsto na Politica Nacional de Museus e no Plano Nacional Setorial de Museus.

Exposição Lomba do Pinheiro

Museus e Pontos de Memória podem participar do Programa Mais Cultura nas Escolas

A partir das discussões realizadas no Blog do PNEM, verificamos que muitos museus e iniciativas museais já realizam atividades educacionais em parcerias com escolas e por vezes passam por dificuldades de deslocamento, financiamento ou fomento. Por isso, é bom saber e divulgar o lançamento do Programa Mais Cultura nas Escolas. O programa é uma parceria entre o Ministério da Cultura (MinC) e o Ministério da Educação (MEC) e tem por finalidade fomentar ações que promovam o encontro entre as escolas públicas e experiências culturais e artísticas em curso nas comunidades locais.

Conheça melhor o Programa assistindo ao vídeo de promoção com diversos artistas e profissionais da educação e cultura.

Para participar, a escola e o parceiro cultural elaborarão o Plano de Atividade Cultural da Escola de responsabilidade mútua que deve ser mantida ao longo do desenvolvimento do projeto. Em conformidade com o PNEM, um dos 9 Eixos temáticos disponíveis para inscrição é o de Educação Museal. Poderão participar cerca de 34 mil escolas ativas nos Programas Mais Educação e Ensino Médio Inovador do MEC até 2012. (Veja as listas aqui).

As atividades serão desenvolvidas dentro ou fora da escola e devem prever duração entre 6 (seis) e 10 (dez) meses durante o período letivo. Serão investidos R$ 100 milhões para financiar 5 mil projetos. Cada contemplado receberá entre R$ 20 mil e R$ 22 mil, que devem ser gastos com:

  1. aquisição de materiais de consumo (custeio);
  2. contratação de serviços de formação, produção e disseminação de conteúdos culturais e artísticos necessários às atividades artísticas e pedagógicas (custeio);
  3. contratação de serviços diversos (custeio);
  4. locação de instrumentos, transporte, equipamentos (custeio);
  5. aquisição de materiais permanentes e equipamentos (capital);

Ajude a divulgar! As inscrições estão abertas até 30 de junho e devem ser realizadas por meio do SIMEC (Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle do Ministério da Educação).

Acesse o manual completo do Programa aqui.

POETAS POPULARES
Antônio Vieira

A nossa poesia é uma só
Eu não vejo razão pra separar
Todo o conhecimento que está cá
Foi trazido dentro de um só mocó

E ao chegar aqui abriram o nó
E foi como se ela saísse do ovo
A poesia recebeu sangue novo
Elementos deveras salutares

Os nomes dos poetas populares
Deveriam estar na boca do povo
No contexto de uma sala de aula
Não estarem esses nomes me dá pena

A escola devia ensinar
Pro aluno não me achar um bobo
Sem saber que os nomes que eu louvo
São vastes de muitas qualidades.
O aluno devia bater palma

Saber de cada um o nome todo
Se sentir satisfeito e orgulhoso
E falar deles para os de menor idade
Os nomes dos poetas populares

Mais informações em: http://www.cultura.gov.br/maisculturanasescolas

Educação em Museus no Globo Educação

No dia 25 de maio o Globo Educação realizou uma série de reportagens com a temática em Educação e Museus e sobre o Programa Nacional de Educação em Museus. Vale a pena conferir as reportagens e o programa em vídeo.

Assista aqui o Programa Globo Educação – 25/05/2013 – Educação em museus na íntegra – Programa de 20 minutos que fala da importância da Educação em Museus e sua relação com a escola. O vídeo apresenta dois projetos de educação em museus: O Projeto Letrarte do Museu Chácara do Céu, que conta com entrevistas dos educadores Fernanda e Ozias – coordenadores de GTs do PNEM, e a atividade dos contadores de história do Museu da Maré e sua relação com a comunidade.

Entrevista com autora do livro “Que público é esse?”

No post anterior do blog PNEM, divulgamos o lançamento do livro “Que público é esse? Formação de públicos de museus e centros culturais” e em seguida, realizamos uma entrevista com uma das autoras: Maria Paula Correia de Souza. Confiram:

• O livro tem além de você, mais três autoras: Luciana Conrado Martins (Org.), Ana Maria Navas e Djana Contier, das áreas de Biologia, Física e História, e ambas com pós-graduação em Educação pela Universidade de São Paulo (USP), tendo como foco a educação e museus. Tendo em vista a interdisciplinaridade da Museologia, como essas áreas do conhecimento se encontraram dando origem ao projeto?

O projeto do livro surgiu da percepção, por parte dessa equipe da PERCEBE, da necessidade de publicações direcionadas para os educadores de museus e centros culturais, que aliassem aspectos práticos da educação nesses espaços com dados oriundos das pesquisas realizadas no âmbito acadêmico. As diferentes formações iniciais e as pesquisas realizadas pelas autoras na pós-graduação, contribuíram para uma visão mais ampla das necessidades e possibilidades educacionais presentes nesses espaços. Outro aspecto importante na concepção do projeto, era produzir um material de linguagem acessível e com ideias práticas que pudessem ser utilizadas pelas equipes das instituições. Por fim, é importante mencionar que o projeto tem também a preocupação de divulgar os conteúdos presentes no livro e trocar experiências com os profissionais que atuam nos museus e centros culturais, para tanto contamos com a realização dos cursos “Que público é esse?” em diferentes cidades do estado de São Paulo.

• Recentemente, o lançamento do livro foi divulgado no site do Ibram, na mesma notícia que apresentou o resultado da pesquisa “O ‘não-público’ dos museus: levantamento estatístico sobre o ‘não-ir’ a museus no Distrito Federal”. A pesquisa foi realizada com um caráter piloto, e segundo o Ibram, a busca por uma maior compreensão da relação entre renda e escolaridade e outras variáveis com o hábito de frequentar museus seria o próximo passo. Sendo assim, como você percebe essa questão relacionada com o tema de seu livro?

Um dos propósitos da publicação do livro é justamente trazer para os profissionais dos museus e centros culturais dados de pesquisas realizadas nesses espaços. Diversos aspectos em relação ao público são discutidos no capítulo 2 da publicação, como por exemplo, as motivações que levam as pessoas a visitarem museus e centros culturais, as especificidades dos diversos tipos de visitante, bem como, a necessidade de conhecer os “não públicos”. De maneira geral a publicação procura dar subsídios para atrair novos visitantes e cativar o público por meio de experiências de visita que sejam significativas e transformadoras.

• Em São Paulo, no dia de lançamento do livro, dia 7 de maio, aconteceu também a abertura do curso “Que público é esse?”, que teve como material de apoio o seu livro. Como foi a experiência nesse primeiro curso?

Esse primeiro curso foi uma experiência muito significativa pois, permitiu a troca de experiências de aproximadamente 50 pessoas de diferentes instituições. Promover essa troca e procurar refletir sobre os conteúdos abarcados pelo livro era uma das maiores expectativas da equipe da PERCEBE. Pela avaliação preliminar sobre o curso, conseguimos perceber que esses objetivos foram atingidos e que ainda há muito espaço para outras formações. O curso em São Paulo contou com a palestra da Maria Ignês Mantovani Franco que trouxe aspectos sobre o importante papel que essas instituições vem assumindo na nossa sociedade. Além disso, houve também a palestra da coordenadora do Núcleo de Ação Educativa da Pinacoteca do Estado de São Paulo, Milene Chiovatto, que contou aos participantes sobre os diversos programas educativos realizados pela instituição.

O curso tem como objetivo refletir e dialogar com os participantes, especificamente sobre as práticas educativas da educação não formal, enfatizando a educação e a comunicação nos processos de mediação humana em museus e centros culturais. Ele será ministrado ainda entre junho e setembro, em outras cinco cidades paulistas:
Museu do Café, em Santos – de 10 a 14 de junho
Museu Casa de Portinari, em Brodowski – de 1 a 5 de julho
Museu de São Carlos, em São Carlos – de 29 de julho a 2 de agosto
Museu Monteiro Lobato, em Taubaté – de 19 a 23 de agosto
Museu Índia Vanuíre, em Tupã – de 16 a 20 de setembro

Próximo à data de cada um dos cursos, maiores informações serão divulgadas no site da Percebe: www.percebeeduca.com.br

Fonte: http://www.museus.gov.br/noticias/ibram-apresenta-resultado-de-pesquisa-sobre-nao-publico-de-museus-no-df/
http://percebeeduca.blogspot.com.br/2013/04/que-publico-e-esse.html

O livro Que público é esse? tem lançamento na Estação Pinacoteca

Foi lançado no dia 7 de maio (terça-feira), às 13h, na Estação Pinacoteca, o livro Que público é esse? Formação de público de museus e centros culturais, da empresa Percebe, com a presença das autoras Luciana Conrado Martins (Org.), Ana Maria Navas, Djana Contier e Maria Paula Correia de Souza.

O livro, financiado pelo Instituto Votorantim por meio do ProAC – Programa de Ação Cultural da Secretaria do estado da Cultura, traça um abrangente panorama da educação em museus e centros culturais, propondo descobrir as características de cada museu, compreender melhor os visitantes e saber como planejar e executar ações educativas em exposições.

A tiragem da obra é de 1,5 mil exemplares que serão distribuídos para os museus do Estado de São Paulo. No lançamento, o Gerente Geral do Instituto Votorantim, Rafael Gioielli, falou sobre a democratização do acesso a bens e espaços culturais e as razões que levaram ao patrocínio do projeto.

A diretora da Percebe, Luciana Martins, contou sobre o conteúdo do livro e também apresentou Maria Ignez Mantovani Franco, presidente do ICOM/Brasil e Diretora da Expomus, que abriu o curso Que público é esse? com uma aula inaugural sobre educação e museus. Na data, as autoras distribuiram 100 unidades autografadas.

Em breve, uma versão em PDF do livro ficará disponível para download no site da Percebe (www.percebeeduca.com.br).

Fonte: divulgação por e-mail

É lançado o Centro de Referência de Educação em Museus em São Paulo

“O Museu da Língua Portuguesa dá início, lança no mês de abril o “Centro de Referência de Educação em Museus”, um novo e importante programa do Núcleo Educativo.

O Centro tem por objetivo promover a troca de experiências e projetos bem sucedidos entre os Museus brasileiros e seus educadores, como um programa de interesse para todas as instituições culturais que atuam na área de formação. A proposta é que este centro seja um suporte permanente, capaz de mapear projetos e iniciativas e auxiliar na formação continuada e na profissionalização de quem atua como mediador cultural.

O programa nasce a partir da observação da quantidade expressiva de bons projetos e experiências na área de educação em museus realizados em instituições de São Paulo e de todo o Brasil que, infelizmente, nem sempre contam com a divulgação devida e por vezes ficam restritos a seus idealizadores e executores. O Centro nasce para divulgar essas ações e permitir o compartilhamento das experiências, de modo que possam ser registradas, potencializadas e aproveitadas por toda e qualquer instituição cultural, já que Museus são espaços de excelência quando se trata de mediação e educação não formal.

A cada semestre, o Museu da Língua Portuguesa convidará três profissionais responsáveis por um projeto de excelência para uma convivência de três dias no próprio Museu. Por meio de palestras abertas a educadores de museus e instituições culturais interessadas, estes palestrantes apresentarão seus projetos e ações, transmitindo suas experiências e os resultados alcançados.

Além disso, os convidados produzirão textos sobre suas ações, formando um banco de dados organizado pela equipe do Museu, para consulta pública, a serem publicados no Caderno do Centro de Referência de Educação em Museus, impresso uma vez por ano e veiculado na Plataforma Online Educativa do Museu da Língua Portuguesa, a ser lançada ainda no primeiro semestre de 2013.”

Com esse projeto, o Museu da Língua Portuguesa e a Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo pretendem oferecer mais um importante serviço aos profissionais da áreas e promover a valorização dos serviços educativos dos museus, que vem prestando um trabalho de excelência à população, não só em São Paulo mas em todo o Brasil.

Fonte: divulgação por e-mail

Retrospectiva dos eventos do PNEM

Desde o lançamento do nosso Blog aconteceram diversas iniciativas que proporcionaram a discussão do Programa: encontros, reuniões e debates. Os articuladores do PNEM mobilizaram e divulgaram o programa pelos quatro cantos. Os resultados dos encontros foram postados nos fóruns temáticos contribuindo e enriquecendo na construção do Programa Nacional de Educação Museal. Para saber um pouco como foram esses encontros vamos compartilhar brevemente alguns deles.

O pontapé inicial se deu no Museu das Bandeiras, localizado na Cidade de Goiás (GO) em dezembro de 2012. Mas foi também no estado de Goiás, em fevereiro, que ocorreu no Museu Antropológico da UFG, a discussão do PNEM organizada pela Rede de Educadores em Museus – REM/GO. Algumas propostas que resultaram do encontro podem ser lidas aqui.

Reunião da REM/RJ em fevereiro de 2013
Reunião REM/RJ em fevereiro de 2013

Outras Redes de Educadores em Museus também realizaram encontros e reuniões específicas para debater o Programa Nacional de Educação Museal. No Rio de Janeiro esse encontro se deu em duas etapas. Em cada reunião alguns eixos eram aprofundados e sua sistematização pode ser encontrada em diversos tópicos, inclusive oito tópicos foram criados por essa REM.

clique na imagem

As REMs de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, ambas em parceria com os Sistemas Estaduais de Museus, realizaram eventos amplamente divulgados em seus estados. Em Santa Catarina a mesa-redonda contou com três convidados, inclusive uma coordenadora de GT, é possível ler o relato do encontro na imagem à direita. No Rio Grande do Sul o evento ocorreu em Porto Alegre em abril de 2013 e contou com diversos palestrantes renomados na área, um para cada eixo do programa.

Outros dois debates ocorreram no Sul. Eles foram promovidos por uma articuladora do PNEM também em parceria com o Sistema Estadual e com universidades. Um deles ocorreu em março na Unisinos-São Leopoldo/RS. É possível acessar o relato completo com fotos aqui, o outro ocorreu em abril no Campus da Ulbra-Canoas/RS (veja o panfleto).

 Além desses, outras Redes de Educadores em Museus, articuladores, coordenadores de GT e muitos outros parceiros relizaram diversas ações. Eles promoveram reuniões em seus museus, conversas com pessoas de secretarias de educação e escolas, debates em suas listas de discussão por e-mail e nas redes sociais, dentre outras. Foi essa movimentação que deu vida e corpo a esse Blog. Agradecemos a colaboração de tod@s nesse período e esperamos contar com mais encontros até a plenária final do PNEM. O Blog vem com novidades, aguardem!