Quais as funções dos museus?

Home Fóruns Perspectivas Conceituais Quais as funções dos museus?

Este tópico contém 4 respostas, 4 vozes e foi atualizado pela última vez por  claudiaporto 5 anos, 7 meses atrás.

5 posts - 1 de 5 (de 5 do total)
  • Autor
    Posts
  • 15/02/2013 em 18:13 #893

    Diante das discussões que pude acompanhar até aqui, acho pertinente pensar um pouco mais… adentrando para o universo da função do museu, à partir de sua localização,  por exemplo o caso do museu universitário, portanto localizado em um ambiente especialmente educativo. Qual é o seu papel neste ambiente? ensino, pesquisa e extensão como já se definiu institucionalmente? mas quais pesquisas? Ensino? e extensãos? a quem servem? como se desdobram na sociedade?   ou então, outro ambiente: um museu numa aldeia indígena, como a de Meruri, no Mato Grosso; ou um museu histórico de uma cidade (pequena ou grande). Assim, acredito que a localidade  do museu é um dos muitos elementos que contribuem para a definição de sua função.  Outro dado a se considerar é a questão de orçamento para sua gestão e neste bojo as politicas publicas que podem oportunizar ou não o acesso ao orçamento. E se queremos novos museus? a quem interessam novos museus? que funções daremos aos novos museus???  Prá que museu?

     

    15/02/2013 em 18:42 #896

    Bruno Marinho
    Subscriber

    A primeira coisa que me vem a cabeça quando se fala na função de um museu seria de preservar ou salvaguardar algum patrimonio. Agora existe um universo de possibilidades dentro disso. Eu acho que a função de um museu deve ser guiada pela especificidade de seu patrimônio (história, arte, etnografia)… e as necessidades da comunidade que o vista (entretenimento, educação…)

    16/02/2013 em 21:59 #909

    claudiaporto
    Subscriber

    Bruno, acho q a preservação é parte essencial da função do museu, mas não só. Um museu que só se dedica a guardar faz a obrigação, mas isso é muito pouco. Claro, podemos pensar que a palavra “preservação” inclui inúmeros significados – inclusive de educação, pois preservar algo ao longo dos séculos passa por manter viva na consciência do povo e dos administradores que essa preservação é importante. O museu atual tem uma vocação de ator no desenvolvimento da sociedade em que ele está inserido. Ele pode atuar para que essa sociedade se torne mais consciente do seu passado, aprimore o pensamento crítico (mas isso passa por não sacralizar acervos nem personagens), cresça economicamente. O museu não é obrigado a trabalhar essa verve social e política – aliás, até hoje, se considerarmos em termos percentuais, poucos conseguiram chegar lá. Mas esse é um caminho importante, que envolve comunicação bem feita, projeto educativo bem feito, pesquisa e expografia bem feitas.

    Quando Jocenaide pergunta se queremos mais museus e para quê museus, me lembra que é prática no Brasil criarem-se museus por motivos políticos, sem um orçamento pensado para sua manutenção, sem que ele tenha uma razão de ser naquela comunidade. É um museu vazio de sentido e de verbas que, muitas vezes, só vai corroborar o paradigma do “museu, lugar de velharias”, que tanto nos machuca.

    19/02/2013 em 13:41 #934
    Ozias Soares
    Ozias Soares
    Subscriber

    Essa discussão me faz pensar no seguinte: há sensíveis alterações no desenho da educação no Brasil, ou seja, a perspectiva da universalização da educação básica é hoje um dado concreto que, todavia, não se vislumbrava há algumas décadas no país; a ampliação do acesso à universidade é um outro dado que deve ser destacado; a criação de universidades virtuais (EAD ou semipresenciais) avança no país. As tecnologias avançam (e até nos atropelam…), conformando as novas gerações. De outro lado, observamos avanços no campo museal com a criação da Política Nacional de Museus e outros instrumentos legais, embora ainda temos 80% dos municípios brasileiros sem museus (http://www.cultura.gov.br/site/2010/12/13/oito-em-cada-dez-municipios-brasileiros-nao-tem-museu-mostra-estudo/). Ou seja, precisamos, sim, de mais museus, mas sobretudo, é preciso ter clareza de suas funções. Tenho a impressão que mais do que a localidade ou a tipologia do museu há algo fundamental que define a função social do museu: o seu diálogo com o entorno, com outras instituições sociais que lidam com educação, com práticas culturais, e com o exercício da participação política. Acho que vamos chegar (espero!!!) a um ponto de nos cansarmos dos “museus impermeáveis”!

    20/02/2013 em 0:37 #938

    claudiaporto
    Subscriber

    Ozias, concordo, o mais fundamental é que haja clareza das funções e do objetivo do museu. Sem isso, não há como o museu realizar um trabalho eficaz no longo prazo.

    Sobre o futuro, acredito que a “evolução” dos museus (se posso usar essa palavra) acabará levando à expressiva diminuição do número de museus fechados sobre si mesmos.  Mas acho que essa mudança está se fazendo lentamente demais.

    Precisamos insistir nisso e investir nisso, o que passa não apenas pelas políticas públicas, mas também pelo tipo de formação que nossas universidades e instituições de ensino oferecem (em nível técnico, de graduação, de aperfeiçoamento profissional etc.) e pelo esclarecimento da população em geral sobre esse papel “novo” que o museu deseja assumir.

5 posts - 1 de 5 (de 5 do total)

O fórum ‘Perspectivas Conceituais’ está fechado para novos tópicos e respostas.