PNEM

Chamada Prorrogada para a Edição RCC#22 v. 7 n. 3 (agosto 2020)

Destaque de capaA educação no contexto da pandemia do Covid-19: Impactos nas políticas públicas, na gestão e no cotidiano escolar
Dossiê temáticoJornadas do patrimônio: Patrimônio cultural e a Educação Patrimonial na nova normalidade

As Jornadas de Brasília Patrimônio Cultural da Humanidade constituem caminhos a serem percorridos anualmente, no Distrito Federal, por meio de diversas atividades pedagógicas e culturais. O cumprimento das Jornadas fica a cargo do Poder Executivo e do Poder Legislativo.

As Jornadas serão planejadas e executadas em parceria com as universidades, escolas, instituições locais e federais de fomento à cultura e de proteção do patrimônio, movimentos culturais, sociedade civil organizada, setor privado e demais organismos e movimentos sociais de defesa do patrimônio. As orientações para a sua realização são regulamentadas pela Lei Distrital nº 5.080, de 11 de março de 2013, que inclui no calendário oficial de eventos e no calendário escolar do Distrito Federal o Dia do Patrimônio Cultural e institui as Jornadas de Brasília Patrimônio Cultural da Humanidade.

Para a edição de 2020, dado o contexto de enfrentamento da pandemia do COVID-19, as Jornadas do Patrimônio no Distrito Federal estão sendo planejadas em formatos que façam uso de novas tecnologias e de redes sociais. Pretende-se, dessa maneira, garantir e consolidar o evento, além de ampliar o alcance das discussões e de preservar a sua memória por meio da publicação de artigos científicos e materiais audiovisuais.

A Gerência de Educação Ambiental, Patrimonial, Língua Estrangeira e Arte-Educação (Geapla/Subeb/SEEDF), em parceria com a Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal (RCC), periódico científico vinculada à Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEEDF), com a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (SECEC), a Universidade de Brasília (UnB) e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), tem a satisfação de convidar pesquisadores, professores, técnicos, artistas, estudantes e demais interessados para a submissão de trabalho ao Dossiê Temático da Edição nº 22. Estes textos serão apresentados e discutidos em evento a ser realizado posteriormente este ano.

Para 2020, teremos como tema geral: Jornadas do Patrimônio: Patrimônio Cultural e a Educação Patrimonial na Nova Normalidade (I). A consolidação de um cenário inesperado, causado pela pandemia, tornou ainda mais evidente que a educação, a pesquisa e a ciência são fundamentais para a nossa existência. Projetando-nos para um futuro que preza pelo diálogo crítico entre diversos saberes, comoconsolidar a educação como patrimônio? (II). Após o período de isolamento social, as vivências cotidianas, antes entendidas como habituais, devem ser reformuladas. Cabe, dessa forma, uma reflexão a respeito do papel educativo dos espaços da cidade e do campo (III), que permita evidenciar as expressões artísticas, culturais e identitárias desses territórios como forma de apropriação social. Ademais, como esses lugares são feitos pelas pessoas, nas relações de afeto entre si e com o espaço, entendemos que a fragilidade do contexto atual deixa ainda mais explícita a necessidade com o zelo humano. Para isso dedicamos um tópico para reflexão sobre o patrimônio humano e afetivo (IV). Em uma perspectiva interdisciplinar, a visão de diversas áreas como Educação, Arquitetura e Urbanismo, Meio Ambiente, Turismo, Arte, História e Literatura nos possibilitam analisar o patrimônio e educação em perspectivas (V).

  • TEMA DO DOSSIÊ:
    • Jornadas do Patrimônio: Patrimônio Cultural e a Educação Patrimonial na Nova Normalidade
  • SUBTEMAS:
    • Educação como Patrimônio
    • Papel Educativo dos Espaços da Cidade e do Campo
    • Patrimônio Humano e Afetivo
    • Patrimônio e Educação em Perspectivas

Fonte: Revista Com Censo e Jornada do Patrimônio

Minicurso de capacitação – Recomendações para a reabertura de instituições do patrimoniais e museus durante a pandemia do COVID-19 – Ibermuseus

Em resposta às necessidades mais iminentes identificadas pelos museus ibero-americanos na pesquisa sobre o impacto do COVID-19, lançamos um novo projeto de capacitação gratuito e virtual destinado especialmente a trabalhadores e trabalhadoras de museus públicos e privados nos países ibero-americanos.

A iniciativa, desenvolvida no âmbito de nossa linha de Formação e Capacitação, que tradicionalmente realiza atividades presenciais, busca oferecer apoio às instituições no contexto atual. Assim, a partir de julho, ofereceremos uma série de três minicursos de capacitação virtual sobre temas relacionados aos protocolos de segurança e a reabertura de instituições, às estratégias e plataformas de comunicação para vincular e expandir o alcance do público e a atenção ao público no contexto pós-pandemia.

Os minicursos terão duração total de 4h30 distribuídas em três sessões de 90 minutos e combinarão aulas expositivas ministradas por instrutores de diferentes países ibero-americanos e sessões de intercâmbio de casos práticos de museus da região, como forma de privilegiar o aprendizado colaborativo. Os cursos de capacitação serão destinados a profissionais de museus dos 22 países da América Latina e terão capacidade para 50 pessoas cada.

O primeiro curso abordará as Recomendações para a reabertura de instituições patrimoniais e museus durante a pandemia do COVID-19 e ocorrerá nos dias 28, 29 e 30 de julho, das 10h às 11h30 (Hora do Chile).

Após o fechamento de museus e outras instituições culturais devido à pandemia do COVID-19 e as consequentes medidas de isolamento tomadas pela maioria dos países do mundo, os museus estão agora enfrentando uma reabertura em condições nunca antes experimentadas. e, portanto, cheia de perguntas e incertezas.

Essa reabertura deve levar em conta a segurança do público, dos trabalhadores do museu e também de suas coleções, além de aderir a recomendações e protocolos que restabeleçam a confiança dos cidadãos aos museus e garantam uma visita e interação segura e distanciada de quaisquer riscos à saúde.

Vários países do Espaço Cultura lbero-Americano já iniciaram a retomada e a etapa chamada de nova normalidade e estão reabrindo seus museus ou se encontram em planejamento de abertura. Do México à Espanha, passando pela Costa Rica, Portugal ou Peru, os profissionais envolvidos na elaboração dessas recomendações analisarão neste curso os processos e medidas adotadas e farão um balanço de sua aplicação em alguns museus que já reabriram suas portas para a cidadania.

Objetivos:

  • Oferecer à comunidade ibero-americana documentos de referência e experiências para a reabertura de museus em condições de segurança sanitária durante a pandemia do COVID-19.
  • Analisar as recomendações e protocolos de reabertura de instituições culturais e museus elaborados por alguns países ibero-americanos.
  • Fazer um balanço da aplicação dessas medidas em alguns museus que já reabriram suas portas.

O curso é destinado a profissionais de museus da região ibero-americana, cujas funções incluem coordenar os planos e estratégias para reabrir seus museus. As inscrições estarão abertas até 17 de julho de 2020.

Ao final do curso, os profissionais com 100% de participação receberão um certificado de participação em curso livre, emitido pelo Programa Ibermuseus.

Juntos e conectados, vamos mais longe.

Para se inscrever clique aqui 

Fonte: Ibermuseus

Seu museu pode ganhar o 11º Prêmio Ibermuseus de Educação!

  • Em resposta ao contexto atual, serão premiados projetos educativos realizados para o entorno virtual.
  • Serão distribuídos US$ 50.000 em 20 prêmios de US$ 2.500.
  • O edital é destinado a museus, museus comunitários e iniciativas de base comunitária dos 22 países ibero-americanos, que tiveram que suspender ou limitar suas atividades devido às restrições impostas pela pandemia do COVID-19.
  • O edital estará aberto até o dia 31 de julho de 2020.

Hoje, 30 de junho de 2020, lançamos a 11ª edição do Prêmio Ibermuseus de Educação, iniciativa realizada anualmente desde 2010 com o objetivo de fortalecer a função social dos museus por meio do fomento à realização de programas e projetos educativos.

Em 10 edições, premiamos 240 projetos e contribuimos para a inovação de práticas educativas, para a mudança de paradigmas e a realização de sonhos, principalmente daqueles museus localizados nos lugares mais remotos da Ibero-América.

O distanciamento físico imposto como medida de contenção contra a expansão da pandemia do COVID-19 impactou diretamente os museus ibero-americanos que, na maioria das vezes, tiveram que ser fechados ou impor limitações operacionais devido ao risco de contaminação. Diante desse contexto e atuando para fortalecer a função educativa dos museus e apoiar o fornecimento de conteúdo para as comunidades, esta edição do Prêmio Ibermuseus de Educação promoverá exclusivamente a implementação de projetos virtuais.

Serão premiados 20 projetos, com um investimento total de US$ 50.000 distribuídos entre 20 instituições, com um valor de US$ 2.500 para cada.

Os projetos devem estar na fase de elaboração ou planejamento e, portanto, ainda não executados, ou configurar uma nova etapa de um projeto que já está em andamento. O Prêmio também terá um foco especial em pequenos museus, museus comunitários e iniciativas comunitárias.

Com esse novo formato, buscamos dar a mesma oportunidade aos museus que, de acordo com cada país, estão passando por diferentes estágios da pandemia. Museus nos 22 países ibero-americanos poderão se inscrever pela plataforma convocatorias.ibermuseos.org.

Acesse o Edital e o Guia de apoio à inscrição e participe! Seu museu pode ser o próximo vencedor do Prêmio.

Juntos e conectados, vamos mais longe.

Webinário: A presença e a não presença do trabalhador da educação nos espaços museais – CECA/REM-BR

O GT Ações Educativas Digitais do CECA-BR e REM-BR transmitirá no dia 30 de junho de 2020, às 18h (horário de Brasília), seu primeiro webinário.

Na estreia conversarão sobre “A presença e a não presença do trabalhador da educação nos espaços museais”.

Anita Lazarim e Rafael Domingos Oliveira (historiadores e educadores) abordarão o tema “A crise não cria, radicaliza: os significados das demissões em museus em época de COVID-19”.

O Coletivo 4 +1 apresentará contribuição via artigo que aborda as realidades que atravessam o campo e questão relevantes aos trabalhadores de museus e outros equipamentos culturais.

Hugo Otatti (advogado trabalhista e sindical) compartilhará questões sobre as demissões em massa, condições do trabalho remoto durante a pandemia Covid-19 e precarização dos contratos via MEI.

Link do Canal do YouTube que será transmitido o Webinário:

https://www.youtube.com/channel/UCHoHsoIJ4rq8i0z5nrt62rA

Link do evento do Webinário no Facebook:

https://facebook.com/events/s/webinario-a-presenca-e-a-nao-p/706212496617396/?ti=as

Realização:

Página do CECA Brasil no Facebook: https://www.facebook.com/icomcecabrasil/

Página do Coletivo Quatro mais Um: https://www.facebook.com/coletivo4mais1/

Grupo do Facebook da REM BRASIL: https://www.facebook.com/groups/1635943876632993/?ref=share

Instagram do Coletivo Quatro mais Um: @coletivo4mais1

Para acessar o webinário clique aqui

Webinar CECA: Educação Museal (Espanhol)

¡Iniciamos el mes con la segunda jornada del webinar de CECA LAC! “Educación en museos, cuando más la necesitamos” Por un museo afectivo y consecuente a la realidad que estamos viviendo. Transmitiremos a través de YouTube y Facebook de CECA LAC. Recuerda que el formulario de inscripción está en la bio ☝🏽✨ Expondrán Juliana Campuzano 🇨🇴, Irene de la Jara 🇨🇱, Lil Marie Apestegui 🇨🇷, María Gabriela Mena 🇪🇨 y Nicolás Charles 🇦🇷 Nos acompaña nuestra Coordinadora Regional de CECA LAC Silvana Lovay @silvanamarialovay 🇦🇷 y Modera Fernanda Venegas 🇨🇱 #museos#educaciónenmuseos .

Link Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCx_T1kra0M0uoBlOHxEXSaw

Gráfica de la talentosa @circumambient_ .

Texto: CECA LAC

Para assistir clique aqui

Chamada Aberta para a Revista Com Censo #22 (agosto 2020)

Eixo Central: A educação no contexto da pandemia do Covid-19: Impactos nas políticas públicas, na gestão e no cotidiano escolar

Dossiê temático: Jornadas do patrimônio: Patrimônio cultural e a Educação Patrimonial na nova normalidade

As Jornadas de Brasília Patrimônio Cultural da Humanidade constituem caminhos a serem percorridos anualmente, no Distrito Federal, por meio de diversas atividades pedagógicas e culturais. O cumprimento das Jornadas fica a cargo do Poder Executivo e do Poder Legislativo.

As Jornadas serão planejadas e executadas em parceria com as universidades, escolas, instituições locais e federais de fomento à cultura e de proteção do patrimônio, movimentos culturais, sociedade civil organizada, setor privado e demais organismos e movimentos sociais de defesa do patrimônio. As orientações para a sua realização são regulamentadas pela Lei Distrital nº 5.080, de 11 de março de 2013, que inclui no calendário oficial de eventos e no calendário escolar do Distrito Federal o Dia do Patrimônio Cultural e institui as Jornadas de Brasília Patrimônio Cultural da Humanidade.

Para a edição de 2020, dado o contexto de enfrentamento da pandemia do COVID-19, as Jornadas do Patrimônio no Distrito Federal estão sendo planejadas em formatos que façam uso de novas tecnologias e de redes sociais. Pretende-se, dessa maneira, garantir e consolidar o evento, além de ampliar o alcance das discussões e de preservar a sua memória por meio da publicação de artigos científicos e materiais audiovisuais. 

A Gerência de Educação Ambiental, Patrimonial, Língua Estrangeira e Arte-Educação (Geapla/Subeb/SEEDF), em parceria com a Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal (RCC), periódico científico vinculada à Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEEDF), com a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (SECEC), a Universidade de Brasília (UnB) e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), tem a satisfação de convidar pesquisadores, professores, técnicos, artistas, estudantes e demais interessados para a submissão de trabalho ao Dossiê Temático da Edição nº 22. Estes textos serão apresentados e discutidos em evento a ser realizado posteriormente este ano.

Para 2020, teremos como tema geral: Jornadas do Patrimônio: Patrimônio Cultural e a Educação Patrimonial na Nova Normalidade (I). A consolidação de um cenário inesperado, causado pela pandemia, tornou ainda mais evidente que a educação, a pesquisa e a ciência são fundamentais para a nossa existência. Projetando-nos para um futuro que preza pelo diálogo crítico entre diversos saberes, como consolidar a educação como patrimônio? (II). Após o período de isolamento social, as vivências cotidianas, antes entendidas como habituais, devem ser reformuladas. Cabe, dessa forma, uma reflexão a respeito do papel educativo dos espaços da cidade e do campo (III), que permita evidenciar as expressões artísticas, culturais e identitárias desses territórios como forma de apropriação social. Ademais, como esses lugares são feitos pelas pessoas, nas relações de afeto entre si e com o espaço, entendemos que a fragilidade do contexto atual deixa ainda mais explícita a necessidade com o zelo humano. Para isso dedicamos um tópico para reflexão sobre o patrimônio humano e afetivo (IV). Em uma perspectiva interdisciplinar, a visão de diversas áreas como Educação, Arquitetura e Urbanismo, Meio Ambiente, Turismo, Arte, História e Literatura nos possibilitam analisar o patrimônio e educação em perspectivas (V).

  • TEMA DO DOSSIÊ:
    • Jornadas do Patrimônio: Patrimônio Cultural e a Educação Patrimonial na Nova Normalidade
  • SUBTEMAS:
    • Educação como Patrimônio
    • Papel Educativo dos Espaços da Cidade e do Campo
    • Patrimônio Humano e Afetivo
    • Patrimônio e Educação em Perspectivas

Chamada para Artigos Seminário Museu e Educação 2020

O Museu Histórico Nacional abre hoje (14), chamada para seleção de trabalhos a serem apresentados durante o 2° Seminário Museu e Educação, que neste ano tem como tema “Educação museal e decolonialidade”. 

Programado para acontecer entre os dias 21 e 23 de setembro, o tema desta edição aborda um dos principais desafios enfrentados pelos museus na contemporaneidade: a necessidade de rever discursos e processos de aquisição, pesquisa, comunicação e educação; a ampliação de narrativas, assim como a representação de objetos, com o intuito de integrar novos públicos e reforçar a função social dos museus.

Seminario_Educacao_Museus2020 - Cópia

Voltado para profissionais de diversas áreas do conhecimento, os Grupos de Trabalho do seminário organizam-se entre (1) produção acadêmica, (2) produção museal e (3) propostas práticas. Serão selecionados até seis propostas por grupo para apresentação. 

As inscrições online estão abertas  entre 14 de abril e 31 de maio de 2020. O resultado da seleção está previsto para ser divulgado no dia 1° de julho. Confira o edital da chamada na íntegra.

Após o resultado e a confirmação de participação, os inscritos terão até 1° de novembro de 2020 para enviar os artigos finais, caso queiram participar da publicação dos Anais do evento.

Sobre o seminário
A proposta é articular a produção acadêmica que envolve a educação museal, e temas afins, à produção realizada nos museus, pontos de memória e na área do patrimônio. Em 2018, a primeira edição do seminário teve como tema os 60 anos da Declaração do Rio de Janeiro, acontecendo de forma integrada ao seminário anual do MHN.

O evento deste ano, programado para acontecer em setembro, caso a pandemia de coronavírus já esteja sob controle, terá conferências, mesa-redonda, grupos de trabalho com comunicações orais e oficinas. A programação também inclui um dia de visitas técnicas a museus, para que sejam apresentados setores e projetos educativos, ação que será realizada em parceria com diversas instituições cariocas.

As inscrições de ouvintes serão realizadas entre os dias 1º de agosto e 1º de setembro em formulário online. Para outras informações, entre em contato com o Núcleo de Educação do MHN pelo endereço eletrônico mhn.educacao@museus.gov.br. Saiba mais na página do evento em nosso site.

Texto: Ascom/MHN

Programa Saber Museu em Números

O Programa Saber Museu completou neste mês 100 mil visualizações! Estamos muito felizes com esse alcance e trabalhando duro para trazer mais cursos e materiais instrucionais para a comunidade museológica.

Nossa missão é capacitar os interessados na área, e podemos ver, por meio de dados e estatísticas que o nosso objetivo está sendo realizado. No momento estamos com 128 mil visualizações e mais de 34 mil visitantes de diversos países.

O site do Saber Museu foi visualizado em 5 continentes e 53 países. As 5 nações que mais acessam o site respectivamente são: Brasil, Estados Unidos, Portugal, Argentina e Espanha. No Brasil, as cidades que mais acessam são as capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Curitiba.

Os cursos também estão bombando, recebemos muitos elogios. Não é por acaso que eles são o material preferido dos usuários, foram criados com muito carinho por nossos técnicos e muitos outros profissionais que atuam no campo museológico brasileiro e colaboram para que o conhecimento construído ao longo de suas trajetórias sirva ao desenvolvimento e qualificação da atuação dos profissionais dos nossos museus.

No momento o curso mais acessado é o de Conservação Preventiva para Acervos Museológicos com 3917 inscritos. Em segundo temos o curso Para Fazer uma Exposição com 3689 inscritos, em terceiro o de Plano Museológico: Planejamento Estratégico para Museus com 3463 inscritos e em quarto o de Acessibilidade em Museus com 2632. O curso de Documentação de Acervo Museológico ainda não tem dados atualizados, sendo o ultimo curso lançado.

A equipe do Saber Museu agradece a todos que participam e utilizam os materiais disponíveis. Nosso acervo de materiais está sendo constantemente ampliado para contemplar as necessidades de nossos públicos e para capacitar e qualificar cada vez mais pessoas!

Encontro REMIC/DF – Março

Convictos de que a educação é o mais eficiente recurso no enfrentamento dos problemas e desafios gerados pela sociedade contemporânea globalizada, a REMIC-DF se propõe a ser mais um instrumento de integração e desenvolvimento dos profissionais e ações educativas realizadas nos espaços de educação não formal. Entre suas atividades, a REMIC-DF realiza encontros mensais com o objetivo de congregar, discutir e refletir sobre as práticas educativas e/ou patrimoniais em Museus e Instituições Culturais no Distrito Federal e região do Entorno.

É com esse intuito que convida estudantes, professores, mediadores, educadores, técnicos e demais profissionais de Museus e Instituições Culturais para seu próximo encontro dia 10 de março às 19h no Centro Cultural Banco do Brasil, sala do Educativo.

A Rede de Educadores em Museus e Instituições Culturais do Distrito Federal – REMIC-DF surgiu em 2008 a partir de experiências bem sucedidas como a Rede de Educadores em Museus do Rio de Janeiro – REM, com o propósito de integrar os profissionais que atuam junto a projetos de cunho educativo e/ou patrimonial em museus e instituições culturais de Brasília e do entorno.

Encontro REMIC-DF

Data: 10/03, terça-feira

Horário: 19h

Local: Centro Cultural Banco do Brasil Brasília, sala térrea do Programa CCBB Educativo

Curso EaD – Formação de Mediadores de Educação para Patrimônio

A Fundação Demócrito Rocha com apoio da Universidade Federal do Ceará (UFC) e a Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza (SecultFOR) abre inscrições para o curso de extensão na modalidade EAD de Formação de Mediadores de Educação para Patrimônio.

O curso, dividido em 12 módulos possui a carga horária de 160h com certificado emitido pela Universidade Federal do Ceará, tem como objetivo a descentralização de ações formativas, expandindo para todos os distritos culturais a oferta de formação em cultura, articulando outras instituições e agentes sociais, como OSCs, coletivos, associações, academias, escolas públicas municipais, estimulando ações em espaços e equipamentos públicos.

Espera-se que cada cursista seja provocado a atuar como mediador de educação patrimonial na comunidade/equipamento em que está inserido, contribuindo para que as pessoas ampliem suas possibilidades de inclusão social, por meio do acesso à informação, do diálogo, da fruição dos bens culturais e do seu exercício da cidadania, explorando as possibilidades e o potencial de conscientizar a população sobre os seus principais conceitos e de promover o sentimento de pertença, promovendo oportunidades de reflexão e aprofundamento do conhecimento a partir do seu contexto sociocultural e ambiental de seu entorno.

As aulas começam no dia 10 de fevereiro e tem sua inscrição aberta até 3 de maio de 2020.

Conteúdo programático

Fazem parte do conteúdo programático, questões como conceitos e trajetórias do patrimônio cultural; design, cidades e patrimônio; o patrimônio natural; arte e patrimônio; saberes e formas de expressão: patrimônios de todos nós; a diversidade das “celebrações”: nosso patrimônio imaterial; os “lugares” e sua dimensão imaterial; museus e patrimônio; políticas públicas: preservação do patrimônio brasileiro; turismo e patrimônio; e instrumentos possíveis para uma intervenção nas cidades.

Para maiores informações sobre o curso, seus conteudistas e realização de inscrição: https://cursos.fdr.org.br/course/view.php?id=22

Fonte: Fundação Demócrito Rocha